sobre a vida #6: então é natal, coisas novas, encruzilhada

merry christmas, yo-ho-ho.

Esse Natal está sendo bem diferente dos 19 anteriores da minha vida. Num sentido não tão bom, já que é o mais deprimente hahaha Acho que é porque é o primeiro que eu tenho que trabalhar ever, e mesmo que tenha sido só por meio período, ainda assim requer acordar, me arrastar até o escritório, e ficar lá com a bunda sentada em uma cadeira… sendo a única pessoa em um raio de quilômetros a fazer isso.

Enquanto isso, casais de amigos e amigos que ainda seguem carreira solo no mercado do amor postam fotos da praia, da ceia, do Caribe, etc.*suspiro*

Vantagem é que eu posso, sei lá, dar estrelinhas no escritório e correr pelada.

Não que eu tenha feito isso, mas é uma coisa que eu poderia fazer.

mudanças na vida

Ah, mas não é só isso. Engraçado como 2014 passou tão devagar e agora, ele passa tão rápido.

Mas, de qualquer jeito, ele está acabando! E percebi que preciso deixar algumas coisas irem embora junto com ele. Claro, tirando a parte emocional de mágoas e etc., coisas materiais também. Reorganizei meu guarda-roupa e despachei algumas coisas de lá. Me desfiz de uma lata inteira de glosses que eu não uso há uns 5 anos e devo ter há uns 8. Dá dó pelo fato da imensa maioria deles ainda estar praticamente intacto – e perfeitamente usável! – mas eu não tenho mais espaço para eles aqui, e, se eu não os usei em 5 anos, não serão nos próximos 5 que eu vou.

E eu me pergunto: por que raios eu comprei tantos se, no fundo, eu nunca gostei do look “comi frango assado e não usei guardanapo”? Por que diabos eu não me livrei deles logo?

Por que é que eu deixei praticamente a minha vida inteira ser tomada por esse apego imbecil? Eu sempre fui dessas que acumula milhões de coisas e tem um receio irracional de passá-las para a frente. Do tipo, sabe, “ah, não estou usando, mas com certeza ninguém vai cuidar melhor do que eu”.

Bem… não mais.

Pra mim, chega.

ok, beleza!… e aí, o que eu faço?

Mas é óbvio que sempre depois que você resolve fazer esses statements na vida, fica sem graça depois. como nessa cena aqui:

eu sendo linguini na vida real

Acontece que eu sempre fui do tipo que se decide, e vai meio que voltando atrás hahaha Sabe quando você briga com seu melhor amigo e fica “NÃO VOU FALAR COM VOCÊ”, e meia hora depois já tá “não, eu não vou falar. Me recuso. NÃO.” pra logo depois ficar “Hmmmm…. ah, vou falar vai”.

Então, eu sou basicamente assim com a minha vida inteira.

Por exemplo, alguém me faz algo de ruim, e eu boto na cabeça que vou parar de ser trouxa e virar a vadia sem coração que eu sempre sonhei ser. Mas aí eu me arrependo depois quando vejo que o resto do mundo é legal (ou não tão chato).

Mas não se engane, eu ainda almejo ser a vadia sem coração. Elas são tão fodas. Aaaaai…

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s