new stranger things

Olar!

Eu já falei num post anterior que amo frio e tal, mas mais alguém fica bem mais preguiçoso quando ele chega?

Ok, esse foi num nível capeta master, e eu fiquei a semana toda me preparando psicologicamente 20 minutos antes de fazer qualquer coisa de casa que envolviam água – tomar banho, lavar a louça, fazer a skincare. Inclusive, eu pulei 2 dias da rotina noturna porque cometi o erro de deitar na cama e me embrulhar nos 20 cobertores logo depois de escovar os dentes pra “me esquentar“. E aí claro que eu sairia de lá depois, né?

 

… SÓ QUE NÃO

Bom, agora que o frio deu uma trégua, voltamos mais ou menos à programação normal. Eu ainda tô acordando mais tarde e sinto uma lagriminha escorrer antes de ir pro curso à noite, mas tirando isso, tá tudo bem.

Agora, sobre o assunto de hoje: vocês também sentem muito tédio em alguns momentos da vida?

Tipo, de não ter nenhuma série ou livro ou filme legal pra acompanhar? E ao mesmo tempo, você também não tem vontade de assistir nada do que te recomendam, ou você até tenta, mas nada te dá aquele suuuuper ânimo? Sabem do que eu tô falando?

Eu tô assim agora.

Quando eu era mais nova eu costumava brincar que pulava de um vício pra outro (HAHAHAHA), porque eu assistia muito anime na época e quando uma temporada acabava, ou eu começava a ler o mangá até enjoar ou então até achar alguma outra coisa que fisgasse a minha atenção.

E eu faço isso com tudo. Com séries. Com desenho (só Deus sabe como eu sofri na época em que Young Justice tava no auge e o Cartoon Network teve a audácia de cancelar). Com livros, com qualquer coisa do gênero.

O problema é que meu cérebro só funciona de dois jeitos:

E aí eu não consigo só começar a ver qualquer coisa só pra ver, sabe?

Quer dizer, pelo menos não até hoje. Eu sempre fui de ficar avaliando e vendo várias reviews antes de começar a assistir alguma coisa, mas decidi desencanar disso. Tive algumas experiências recentes que foram bem positivas – como Haikyuu, que eu comecei a assistir só porque gostei da trilha sonora e acabei pegando amor nos meninos (e eu nem sou a maior fã de vôlei, haha).

Ok, eu também tomei na cara algumas vezes, como quando fui ver Aldnoah:Zero e brochei na hora que vi que era de mecha (aqueles robôs gigantes). EU ODEIO ANIME DE MECHA.

Fora a vez que eu tentei ver Black Clover, e olha, pareceu até legalzinho, mas a voz do protagonista é insuportável. O maldito fala igualzinho à Stacy de Girls in The House, SÓ QUE GRITANDO. Olha que desgraça. Eu assistia o negócio pra ficar em paz e só ficava mais estressada.

Mas, enquanto ainda não emplacamos o próximo mozão cultural, vou fazer uma listinha aqui das coisas que vou tentar acompanhar pra ver o que acontece (e pra eu não me perder também):

  • Série:
  • Anime:
  • Podcast:
  • Livro:

Listas fazem eu me sentir mais produtiva. Com vocês é assim também?

Bom, agora vamos curtir um pouco. Mas sem dormir tarde, hein. Amanhã já é segunda de novo, gente, bora pra labuta.

gordices

Eu tava no Instagram procrastinando entrega de projeto e eis que:

pão com chocolate no grill

Sério, pare tudo o que você estiver fazendo agora e CORRE PRA SANDUICHEIRA! Fica igualzinho a crepe suíço e servido quentinho é a melhor coisa nesse frio do demo.

minha eu do passado

MAS QUE FRIO DO CAPETA É ESSE

minions com frio
se alguém quiser compartilhar calor humano ou me emprestar um cachecol, é nóis

Olha, eu sou bastante calorenta. Com 15ºC eu ando de regata na rua, sempre tiro as blusas (de impaciência mesmo, alguma coisa com manga comprida/gola alta me deixa agoniada) e sempre sou a única pessoa que tá de boa no escritório enquanto todo mundo tem um cobertorzinho pendurado na cadeira.

MAS DESSA VEZ NÃO TÁ DANDO.

O engraçado é: eu já passei muito mais frio que isso. Quando eu fui pra Gramado e tava 0 graus. Quando eu fui pro Japão e tava -2.

Ou quando eu fui pra Nova York e estava MENOS DEZOITO (só o frio recorde da história dos EUA). E ainda choveu no último dia pra deixar as coisas mais legais.

Acho que é o fator viagem, porque não é possível.

Dito isso… achei um Tumblr meu de 4 anos atrás. Eu o abri pra escrever sobre o meu está gio bosta da época e falar sobre todos os perrengues e coisas engraçadas que aconteciam. Lembro que não divulguei pra ninguém porque não sabia se queria que as pessoas vissem ou não – eu tava só começando a carreira, e apesar de muitas reclamações ali serem válidas (tem um post revoltadíssimo sobre mulheres porcas que não dão descarga HAHAHAHAHA), se alguém importante visse eu me f*deria muito e não valia a pena arriscar meu emprego só pra lacrar.

Mas olha, independente disso, é legal ver como algumas coisas nunca mudam. Eu continuo desbocada, corajosa, e fazendo mil coisas ao mesmo tempo. Claro, eu evoluí bastante de lá pra cá – hoje seguro um pouco mais a barra e priorizo mais o crescimento na carreira que a empresa pode proporcionar do que se tem ou não dress code – mas eu ainda tenho umas crises de insegurança uma hora ou outra e ver que eu superei tudo isso na época me faz lembrar que eu consigo resolver o perrengue que seja que eu tiver que resolver agora.

Obrigada, Lari de 2015 ❤

começando tudo de novo

giphy

Que bruxaria é essa que metade de 2019 passou e já estamos em Julho?

Os anos passam, mas a conversa nunca muda, né? O tempo sempre passa mais rápido do que podemos prever, então carpem diem, aquela coisa toda de sempre.

Tá, mas e agora?

Eu nunca tive um objetivo muito definido quando abri o blog – e seja isso causa ou efeito, minha consistência pra postar é 0 desde o começo, o que não mudou muito até hoje. A vida também requer da gente foco em outras coisas (faculdade, trabalho, família e amigos e tal), e acho que é fácil deixar algo de lado, especialmente quando você não sabe dizer o que exatamente ganha com aquilo, sabe?

Mas, cá estou eu, mais uma vez, disposta a tentar de novo.

Criar conteúdo é difícil pra caramba (eu já trabalhei com isso um tempo, foi punk hahaha), mas 3 anos de terapia tem me ensinado como lidar melhor com meu perfeccionismo, e até o momento ninguém lê isso aqui mesmo, então, posso ser um pouco mais aberta do que gostaria.

Lá vamos nós então.

Ciao e beijos.