novos começos.

Então.

Agora que o ano está acabando, pensei se não seria uma boa já começar a lista de metas pra 2017. Confesso que em 2016 eu realizei muitas coisas, mas meio que deixei a lista de lado e por mais que tenha chegado a conquistas bacanas, não foram exatamente as que eu planejei e isso me deixa meio frustrada, sabe?

Quer dizer, eu arranjei um novo emprego, descobri uma nova perspectiva de carreira que jamais pensei que consideraria – e que me trouxe de brinde uma crise ótima pela percepção de que, NÃO, a gente não tem noção do que tá fazendo com a vida quando vai prestar vestibular – e fiz outra tatuagem, mas ah, não peguei no volante como prometi e o espacate ainda falta um palmo pra chegar no chão (claro que isso eu tenho que respeitar os limites do meu corpo).

E quer saber? Eu decidi ser um pouco mais flexível comigo mesma. Esses dias andei meio na bad porque quebrei a cara com um amigo, tive uma surpresa meio desagradável no trabalho e tô meio desacreditada da vida. E eu vou deixar isso me abalar? Claro que não.

O falsiano a gente joga pra escanteio, os desafios do trampo a gente se supera (e faz o chefe engolir), e a vida, bem, eu vou tentar controlar o que dá, mas o que não der – e isso inclui pessoas – não vou esquentar a cabeça.

Quer dizer, se tem uma coisa que eu espero levar de 2016 é que, cara, a gente cai mil vezes, mas levanta mil e uma, e cada vez que isso se repete, a gente volta mais forte e numa direção melhor.

Mas, já que estamos aqui, por que não colocar algumas coisinhas que eu gostaria de começar em 2017?

  1. Começar um novo hobby. Eu sempre fui meio medrosa de tentar coisas novas na infância/adolescência por causa da timidez e do sentimento de inadequação, mas agora que consigo lidar melhor, morro de vontade de testar coisas novas! Tô considerando seriamente  começar aulas de canto, não só pra arrasar na cara das inimigas no karaokê, como também aprender a respirar e projetar melhor minha voz. (eu às vezes enrolo a língua, acontece com mais alguém?)
  2. Ler mais. Gente, se eu peguei em UM livro esse ano, foi muito. Eu costumava ler bastante, e sinto que isso fez diferença no meu senso crítico e na minha forma de ver o mundo. E falando nisso…
  3. Ser mais inteirada das coisas. Cabeçuda que sou, não presto atenção em nada e não leio jornal nenhum. Tá na hora de ser um pouquinho mais informada, né, dona Lari?

 

Por enquanto é isso. A lista vai aumentando conforme for pensando em mais coisas.

Aliás, eu ando com uma vontade louca de comprar roupa. Acho que é a vontade de mudar.