desafio #1: os 16 de 2016

Êta, ano novo! Bastante gente aproveita esse embalo pra planejar o look da night e entupir a carteira de semente estabelecer os objetivos do ano seguinte, jogar aquela energia pra São Tomé e mentalizar pra que as coisas aconteçam e melhorem.

Eu sou dessas que planeja o look da night e entope a carteira de semente gosta da vibe de pensar no que quero pro próximo ano, mas há alguns anos atrás, me dei conta de que fazer isso era mais do que realizar ritos. Eu podia pular 128 ondas, oferecer o orquidário inteiro pra Iemanjá e me vestir igual o Falcão no reveillón – nada iria funcionar a não ser que eu fizesse alguma coisa.

Acredito em Lei da Atração e tudo, mas acho que, assim como a vida te traz o que você quer, é dever nosso contribuir e fazer a nossa parte também.

Então, ano passado, decidi que ia fazer um pouquinho diferente. Escolhi 15 metas (2015 rs), coisas que eu queria realizar muuuito, e botei na cabeça que ia terminar o ano feliz por ter conseguido ticar tantas delas ao invés de lamentar pro acaso que de novo tudo estava igual.

Gente, coisas loucas aconteceram! Cumpri quase todas, algumas eu nem botava fé que eu ia conseguir, mas sei lá, a deusa auxiliou nessa jornada. Daí animei pra fazer mais um pra esse ano 🙂

O que eu tenho pra 2016 é:

  1. Aprender a dirigir
  2. Investir em renda variável
  3. Terminar de escrever um livro
  4. Realizar algum trabalho voluntário
  5. Viajar para fora do país
  6. Abrir espacate
  7. Começar aulas de Krav Magá
  8. Completar o Desafio de Leitura
  9. Aprender um novo idioma
  10. Publicar 100 posts no blog
  11. Comprar uma câmera nova
  12. Desapegar de cosméticos velhos
  13. Fazer um curso de leitura dinâmica
  14. Descobrir um novo hobby
  15. Mudar os móveis do quarto de lugar
  16. Fazer novos amigos

Muito de sair da zona de conforto, ir buscar novas referências e mudar. Acho que essa vida de recém-formada tá mexendo mais comigo do que eu gostaria kkk

Bom, desejem-me sorte!

li, e aí? #1: faça acontecer – sheryl sandberg

Duas coisinhas que eu percebi nesses últimos dois meses:

  1. Manter um blog é na verdade bem complicado. Ainda mais quando você é uma vesga igual eu que precisa urgente aprender a se organizar melhor, e que ainda tem um TCC pra fazer.
  2. Essa tarefa se torna mais difícil quando não se tem a menor ideia do que você vai fazer com o blog (ou com a sua vida, pra constar).

Mas eu voltei, sou uma nova pessoa aham, e, agora, acho que sei um caminho que quero dar pra esse enderecinho singelo aqui. E, pra começar, tô inaugurando um espacinho sobre uma das minhas coisas preferidas nesse mundo: LIVROS!

Até porque estou encarando um desafio de leitura pra 2015 (esse aqui), achei que seria mais produtivo escrever minhas opiniões sobre o que estou lendo do que ficar discutindo calorosamente sobre elas… comigo mesma. No ônibus.

E não só falo sozinha, ainda gesticulo e faço todas as caretas possíveis. Se as pessoas me dessem 1 real ao invés de olhadas, eu estava recebendo olhadas em, sei lá, Paris.

ENFIM, prossigamos.

___________________________________________

#9 – um livro escrito por uma mulher

Mês passado, a empresa que eu trabalho deu de presente pra mulherada um exemplar do livro da Sheryl Sandberg, o Faça Acontecer, no Dia das Mulheres. (rolou uma sessão spa também, que na verdade parecia mais um cenário de guerra porque tinha que disputar a tapas uma vaga pra depilar sobrancelha)

A vida me ensinou que livros são bons, ainda mais quando são insights de carreira e mercado escritos pela 5ª mulher mais poderosa do mundo, então simplesmente joguei o que eu estava lendo de lado (Sara Gruen, peço desculpas) e comecei a ler esse aqui no lugar.

Primeiro, Dia das Mulheres é sempre uma data meio estranha. Tem gente que fica feliz, tem gente que fica revoltada, e esse contraste é sempre curioso: afinal, por mais que seja legal ter um dia que te homenageie de alguma forma, não dá pra negar que ainda existe muita desigualdade de gêneros, machismo descarado e velado e muita hipocrisia.

Sim, fico feliz em receber rosas (ok, mais ou menos, não gosto muito de flores mas amo ganhar presente), mas ficaria mais se não fosse obrigada a ler coisas dessa estirpe aqui, ainda mais no suposto dia que deveria me homenagear.

Esse livro causou uma sensaçãozinha quando foi lançado, e com razão – afinal, a autora é apenas diretora de operações do Facebook, com passagens pelo Google e Tesouro americano.

Antes de mais nada, ignore o título da versão brasileira. Dá uma impressão totalmente errada do conteúdo! Esse não é um manual de como você pode “fazer acontecer” na sua vida (embora o livro seja sim muito inspirador e com várias dicas bacanas de carreira), e sim um apanhado de reflexões e dados sobre o papel feminino no mercado de trabalho.

Não tenho muita paciência pra ler livros do gênero (vergonha, desgraça), mas devorei esse aqui. Primeiro porque ele é curtinho, 200 e poucas páginas de conteúdo mesmo (as últimas 50 são todas listagens das fontes de pesquisas e etc.), e segundo porque a Sheryl escreve de um jeito bem gostoso de ler.

Parece que você e ela se esbarraram um belo dia num café, você pediu uns conselhos, ela se sentou com você e vocês começaram a conversar. Isso ajuda muito a manter a leitura leve, especialmente com a quantidade de dados mencionada ao longo do livro. Mas o que eu mais gostei é que, apesar de toda a sua experiência e talento, Sheryl consegue ser muito humana – ela conta vários “causos” engraçados que aconteceram na carreira dela, e reforça o tempo todo o quanto ainda pena com dias ruins e dúvidas, coisa que tira totalmente aquela ideia de “chefona foda não-me-toques”.

O que é ainda mais legal, porque dá a entender que, assim como ela, você também pode chegar lá algum dia se quiser 😉

Agora, a parte que eu mais adorei: Sheryl conseguiu descrever como o empoderamento feminino é, na verdade, o empoderamento dos dois gêneros. Se as mulheres (e os símbolos ligados a elas) não fossem vistos de forma inferior e/ou tivessem uma conotação negativa, será que isso não abriria as portas para que os homens também se sentissem livres para escolherem (de forma plena) os caminhos que querem seguir na vida, sem serem julgados por isso?

Imagina que louco um mundo onde um homem pudesse virar dono de casa sem ouvir que “isso é coisa de mulher” ou uma mulher que escolhesse virar uma grande executiva sem ter que lidar com perguntas sobre “quando você vai casar e ter filhos”.

Super recomendo pra qualquer um, porque acho que é algo que abre muito a cabeça, além de conter várias dicas bacanas sobre carreira, postura profissional, e planejamento de vida. Além de ser uma desmistificação bacana sobre o real objetivo do feminismo.

___________________________________________

desafio #2: lendo mais com açúcar pop 2015

Sobre metas de Ano Novo: eu não me sinto a pessoa mais indicada pra falar do assunto, porque nunca fui muito de fazer. E se fazia, nem adiantava muito, porque geralmente eu esquecia dois meses depois! Hahaha

Pior que é sério. Mesmo.

Pois então, uma das coisas mais comuns que eu ouço as pessoas prometerem, além de começar academia e economizar mais dinheirinho, é ler mais livros! Eu super apoio a causa e acho que ler é uma das melhores formas de abrir a cabeça e se distrair. Fora que é uma excelente arma pra usar no ônibus e em lugares pra evitar ter que falar com pessoas, E parecer super culto ao mesmo tempo!

Obviamente que isso depende do livro que você está lendo… assim, não tenho nada contra nada do que você ler, MAAAAS, 50 Tons de Cinza (e similares) geralmente não são lá obras muito conhecidas pela sociedade por sua extrema complexidade linguística e de enredo, sabem como é. Mas o livro é seu, colega, você o obteve por meios legais (ao menos, assim espero) e ninguém tem nada a ver com sua vida, então, se quiser pegar e esfregar uma capa cheia de abdômens trincados na fuça dessa fucking society, SE JOGA!

Mas voltando ao assunto: 2014 não foi um ano ruim pra mim em termos de leitura, mas ficou bem abaixo da minha quantidade ideal (15 de 50) e eu não senti que variei muito nas escolhas de gênero. Farei resenhas sobre os livros lidos em breve, prometo!

Vi o desafio abaixo no 9GAG, mas ele foi proposto mesmo pela PopSugar, uma plataforma de conteúdo americana. No total, são 50 itens e 52 livros (tem uma trilogia no meio). E fora o perrengue de ter que ler meia centena de livros, algumas ideias são bem cabeludas!

  1. Com mais de 500 páginas
  2. Um romance clássico
  3. Que virou filme
  4. Publicado este ano
  5. Com um número no título
  6. Escrito por alguém com menos de 30 anos
  7. Com personagens não-humanos
  8. Que seja engraçado
  9. Escrito por uma mulher
  10. Um mistério ou thriller
  11. Um livro cujo título seja uma só palavra
  12. De crônicas/histórias curtas
  13. Que se passe em outro país
  14. Uma não-ficção
  15. Um livro de estreia que fez sucesso
  16. Um livro de algum autor que você ama mas não leu ainda
  17. Uma recomendação de um amigo
  18. Um vencedor do prêmio Pulitzer
  19. Baseado em uma história real
  20. Um livro que esteja no final da sua lista
  21. Um livro que sua mãe ama
  22. Um livro que te dê medo
  23. Um livro com mais de 100 anos de idade
  24. Que você leia baseado exclusivamente na capa
  25. Um livro que você deveria ter lido na escola, mas não leu
  26. Um livro de memórias
  27. Um livro que você consiga terminar em um dia
  28. Um livro com antônimos no título
  29. Um livro cuja história se passe em um lugar que você sempre quis conhecer
  30. Um livro que foi publicado no ano que você nasceu
  31. Um livro com péssimas avaliações
  32. Uma trilogia
  33. Um livro da sua infância
  34. Um livro com um triângulo amoroso
  35. Que se passe no futuro
  36. Que se passe no ensino médio
  37. Um livro com uma cor no título
  38. Um livro que te fez chorar
  39. Um livro com mágica
  40. Uma graphic novel
  41. Um livro de um autor que você nunca leu antes
  42. Um livro na sua estante que você nunca leu
  43. Um livro que se passa na sua cidade natal
  44. Um livro originalmente escrito em outra língua
  45. Um livro que se passe durante o Natal
  46. Um livro de um autor com as mesmas iniciais que as suas
  47. Uma peça
  48. Um livro banido
  49. Um livro que baseou ou foi baseado em uma série de TV
  50. Um livro que você começou mas nunca terminou

Algo me diz que eu me meti numa outa enrascada vou passar por uns perrengues básicos nessa missão, mas não volto atrás porque ESSE É MEU JEITO NINJA! tô serta

E se você quiser encarar o desafio também, embarque nessa comigo e vamos trocando sugestões de livros 🙂 a ver com a lista, ou não.

é tóis barney

desafio #1: os 15 de 2015

Mas olha só quem apareceu !1!!111!1

Aliás, com muito atraso: feliz ano novo! Passaram bem a virada? Já fizeram todos os planos? Já realizaram algum deles?
Eu não sei bem como começar um post depois de ter sumido por um tempo, então, vou começar do começo.

Eu sou bastante supersticiosa – não passo debaixo de escada, não saio de casa sem um amuletinho e encho a carteira todo ano de sementes de uva. E sabe, por mais que eu concorde com a ideia de que “todo dia é um novo dia”, acredito que o 1º de Janeiro sempre vai ter aquela pegada especial. Afinal, é um primeiro dia de um ano novo pra todo mundo ao mesmo tempo! Para pra pensar o quão louco é isso.

O primeiro mês de 2015 está oficialmente acabado (aliás, alguém mais sentindo aquele desespero?), e eu passei esses primeiros 31 dias pensando (yep) em como gostaria de levar os próximos 11 meses. Por algum motivo, sinto que 2015 vai ser um ano especial na vida. Parte por sensação cósmica mesmo, mas parte porque alguma coisa mudou em mim, e eu finalmente me sinto preparada e disposta a realizar certas mudanças na minha vida.

Portanto, resolvi lançar um desafio para mim mesma, aproveitando a inspiração da Vic e da Taina (que eu conheci pelo post da Vic, por sinal!). São 15 coisas que eu quero fazer até o fim do ano, e as motivações são muitas! Coisas que eu tenho vontade mas falta a coragem, projetos antigos que eu venho adiando, marcos novos da minha vida…

Então, eu lhes apresentoooo… Os 15 de 2015.

  1. Fazer uma tatuagem
  2. Tirar minha carta de motorista
  3. Aprender a investir
  4. Praticar uma arte marcial
  5. Mudar o cabelo
  6. Completar o Desafio de Leitura
  7. Finalizar um Projeto ‘Pan 10’
  8. Terminar um #100happydays
  9. Ser voluntária em uma ONG
  10. Ter um livro autografado
  11. Ir a um show
  12. Viajar sozinha
  13. Ter a minha sorte lida
  14. Meta secreta
  15. Escrever um livro

Talvez eu mude uma ou duas metas depois – não é nem pela “dificuldade”, e eu realmente quero realizar todas elas, mas sabe quando dá aquela sensação de “hmm, não é bem isso”? Apesar de tudo, eu gosto dela – costumava acreditar que, sempre que ela aparecia, significava que tinha alguma coisa errada na vida. Digo… como assim eu não sei o que eu quero?? HAHAHA

Mas eu ando mais aberta com essa coisa de querer tudo perfeitinho e conforme minhas expectativas (quase sempre irreais). Não tenho o plano inteiro, mas vou começar sem ele mesmo e ver o que 2015 me apresenta de bom, também 🙂

Torçam por mim!