sobre a vida #5: double decade, dirigindo, depressão

Parabéns para mim!

Nessa sexta-feira (28), completei duas décadas de vida.

Eu lembro de quando tinha 10, e ficava imaginando o quão maravilhoso seria chegar nessa idade e ser feliz e independente… Ok, mentira, eu nem me imaginava com 20 anos – minha maior preocupação da vida na época era acordar no horário exato pra ligar a TV Globinho bem  quando os desenhos legais começassem. Bons tempos…

Mas, de qualquer forma, inocente sabe de nada mesmo, não?

Eu achando que estaria dirigindo, fazendo faculdade e morando sozinha com 18 anos.

Turns out, tô com 20, me graduando na base de lágrimas de sangue, sob o teto dos meus pais por um período ainda indefinido, e sem a maldita carta de motorista.

Mas isso é só por um tempo, afinal…

Comecei minhas aulas práticas de direção! AEAEAE

Continuar lendo

Anúncios

sobre a vida #4: mudanças, roupas novas, eleições

comecemos com os novos começos…

e foi dada a largada para o último bimestre do meu 3º ano!

Aliás… eu sei que dizem que, durante a faculdade, a gente só reclama do quanto quer se formar e dar no pé logo, mas que depois da formatura bate aquela deprê e todo mundo – TODO MUNDO – se encolhe em posição fetal pra chorar escondido num cantinho escuro, e que eu deveria aproveitar minha vida universitária e lá lá lá…

Mas, sério, 2014 não acaba nunca. Faz só 4 dias que os 380 dias de Setembro terminaram. E eu juro que tô preocupada: já estou mortíssima a essa altura do campeonato… e ainda tenho que encarar o TCC ano que vem.

É melhor esse diploma me deixar muito rhyca valer a pena depois, ein, dona facul!

aliás, falando em dinheiro…

Continuar lendo

sobre a vida #2: gripada, tresloucada, e transtornada.

Gribe, bossa.

Que goisa bêo.

Pois é, faz uns 10 dias que o vírus resolveu fazer uma visitinha. Disse que estava com saudades, mas olha só que falta de consideração – nem me avisou que ia chegar, e, quando vi, tava em casa comigo, esticando as perninhas no sofá, roubando doces da geladeira. E eu tive que barganhar com o bicho, afinal, tinha baladzênha pro finde inteiro. E pro próximo.

Bom, sobrevivi. Fui nas festas e provavelmente o bichinho ficou feliz em poder alojar outros felizardos.

E assim, nem reclamo da garganta (nem dói tanto, só de manhã logo depois de acordar – e convenhamos que nessa hora dói até a alma), é mais a sensação engraçada de ter um nabo enfiado no seu nariz. E der que figar falando assim beio embolado.

Aliás, ouçam as suas mães, viu?

Tomei dois disquinhos de Fluviral pra sarar da gripe, de manhã, ignorando solenemente os avisos da querida mama de que eles davam um sono do capeta.

Resultado: eu capotando no ônibus antes de ir pro trampo, dormindo de comprido em dois lugares, e quase indo parar lá na ZL. e depois, pescando na cara do gerente numa reunião importantíssima.

Aliás, falando em baladas…

Continuar lendo

sobre a vida #1: dever, pré-casamento, esfihas.

O começo

Primeiro post. Uaaaau! Inícios de coisas novas e legais devem sempre ser comemorados, então, para essa super ocasião, eu preparei… é… hã, nada. HAH.

Gente, cês ignorem minha falta de jeito com as coisas, viu? Sou envergonhada e super tímida, e a metade de mim que não é socially awkward (juro, aquele pinguim nasceu pra mim) é assim meio grumpy cat. Adoro memes, por sinal. Acho que deu pra perceber, hehe.

Bom, eu não fucei os primeiros posts de outros blogs que eu conheço para pelo menos ter um guia de como fazer o seu primeiro post, e tal. Mas para dar um guia sobre as próximas coisas que virão, isso aqui é sobre mim, sobre as coisas que eu gosto. Vou fazer umas resenhas de livros, séries, cosméticos, lugares – enfim, as coisas que uso e que fazem parte da minha vida. A verdade é que eu não queria me definir muito. Só queria um espacinho meu, mesmo.

Embarcam nessa super aventura comigo?

Faculdade, volta às aulas, etc.

Continuar lendo